domingo, 26 de dezembro de 2010

Sobre as Palavras


"Não pode haver ausência de boca nas palavras: nenhuma fique desamparada do ser que a revelou."

Manoel de Barros, O Livro Sobre o Nada

----------------------------------------------------------
Desejo o melhor 2011 pra todos que aqui passam e que levam um pouco de mim em palavras. Que vocês continuem me carregando no ano que se aproxima. Que o seu 2011 seja repleto de luxúria e subversões pra tornar a vida mais apetitosa!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Telefonema


Ela: Alô
Ele: Oi
Ela: Oi?
Ele: Ah, ando com uma saudade...preciso de você viu, te atacar...
Ela: Nossa, fiquei sem graça.
Ele: Bom, então nem vou falar o que estou sentindo...
Ela: Pode falar, eu não esperava tanto entusiasmo, só isso.
Ele: Posso continuar?
Ela: Claro, deve...
Ele: Tô doido pra te pegar, te colocar de quatro, puxar teus cabelos... continuo?
Ela: (risos) Sim...
Ele: Depois, quero que você monte em mim, que eu possa te olhar me cavalgando, rebolando, segurar na tua cintura e te sentir subindo e descendo...
Ela: Vou adorar!
Ele: Sentir teu cheiro, beijar teus seios...
Ela: Ah, você sempre querendo se aproveitar de mim...
Ele: Inteirinha! Mas ainda não terminei.
Ela: Não?
Ele: Depois quero te deitar, abrir suas pernas, te segurar pelos quadris e te tratar mal, como sempre...
Ela: Ai...
Ele: Não terminei!
Ela: Não? (risos) Termine então...
Ele: Quero acabar gozando nos teus seios e deixar meu corpo pesar sobre o teu. Depois tomar um banho, tomar uma água e começar tudo de novo...
Ela: Ah, prometo que vou obedecer e fazer tudo direitinho (risos).
Ele: Não esperava outra coisa (risos), mas agora tenho que ir, preciso voltar ao trabalho (risos). Então até mais tarde minha gostosa. Beijos!
Ela: Até, eu também vou tentar voltar. Um beijo!
--------------------------------------------------------------------
PS: Eu não consegui mais me concentrar no que estava fazendo...rs.
Saudades disso aqui!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Visita

Chegue de repente
Me toque com lascívia
Me beije com audácia
Arranque minha roupa de uma vez
Abra minhas pernas e me invada sem pedir licença
Me faça gozar louca, insanamente
E só depois me diga: Olá...

------------------------------------------------------------
Então, está esperando o que pra me visitar?

sábado, 27 de novembro de 2010

Give me


Don't give me your love
Give me your lust
Give me your sex
and nothing else

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Desvenda-me!


Mais mulher que menina, mais moleca que mulher.
Dominadora e escrava, gatinha arisca e cadela mansinha.
Nem sempre espero palavras de amor, mas sempre aspiro gentilezas.
Quase nunca atendo as expectativas masculinas, não sou uma personagem, sou mulher.
Não esperes de mim mais do que eu posso dar, mas faça com que eu te dê mais do que você mereça ter.
Minhas convicções, princípios, sonhos, desejos, independência. Esses são meus guias.
Contradições e paradoxos transbordam de mim.
Pervertida. Louca. Lasciva. Submissa.
Deixe-me livre e posso ser tua. Tua escrava, teu brinquedo, tua festa.
Juízo. Sedução. Sentido. Razão. Vida.
Frágil. Delicada. Manhosa. Sonhadora.
Tarada. Cítrica. Úmida. Quente. Elétrica.
Anjo demoníaco. Demônio angelical.
Sou muito mais do que sei e muito mais que imagino, ainda há tanto a descobrir e a ser descoberto que seria difícil dizer mais do que pode ser dito...
Desvende-me!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Brincadeira gostosa


Brincar de pega-pega sempre tem segundas intenções.
Seguimos pulando amarelinha até não agüentar.
O esconde-esconde se repete até em outras posições.
De polícia ou de ladrão fingimos apenas para poder capturar e escapar.

Podemos até brincar de médico, mas tome cuidado!
Por uma enfermeira oportunista você pode ser anestesiado!
E o remédio, com certeza, terá efeito maior que o esperado!

Pêra, uva, maça ou salada mista?
A resposta sempre vem atrás do muro, lá onde não pode ser vista.
Mas, o mais importante é saber brincar
Com vontade e muito respeito
Pra sempre podermos continuar!!!

---------------------------------------------------
Uma brincadeirinha ingênua em homenagem a duas lindas (e gostosas) amigas que me enviaram um poeminha bem engraçadinho!!!
Ando sumida, mas aos poucos vou reaparecendo! Obrigada pelo carinho de todos meus gostosos e gostosas que me estimulam continuar! Bjos Luxuriosos!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Solidão



Sinto-me tão só hoje...
Uma saudade imensa do teu olhar, teu cheiro, teu gosto...
Ao fechar meus olhos sinto tuas mãos a tocar-me, a acariciar-me a pele, a aguçar-me os sentidos.
Ando a sentir tanto tua falta que desaprendo quem sou...
Ah, vontade insana, sem sentido, inexplicável!
Enquanto espero-te, sem saber quando voltas, deixo meus pensamentos me levarem, enquanto minhas mãos percorrem meu corpo, trilhando o caminho traçado por ti...
Só peço-te: não demore...

"Faça com que eu saiba ficar com o nada, e mesmo assim me sentir como se estivesse plena de tudo..."(Clarice Lispector)

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Detalhes


Possua-me com volúpia.
Hoje estou dada a deleites e precisando ser saciada.
A sua espera...

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

As amizades verdadeiras!!!


"[...]essa história de que não se pode misturar amizade com sexo é uma maluquice, é precisamente o contrário meu Deus do céu. É porque as pessoas envolvem o sexo em tanta merda - mesquinharias, ciúmes, despeitos, inseguranças, disse-me-disse, suspeitas, afirmações de ego, tanta, tanta merda - que fazer sexo com amigos às vezes acaba prejudicando a amizade. Não se oferece merda aos amigos, atentar nisso, os amigos são muito importantes. Então, livrar-se da merda, para poder oferecer a ambrosia, que está aí para quem quiser deixar de ser babaca e ver. Se prestar atenção e se assumir a postura correta, o certo é comer os amigos, é absolutamente óbvio, chega a ser ridículo ter que dizer isso e apresentar como tese a ser discutida, não há nada a ser discutido, é elementar, lógico, curial. Não todos os amigos, é claro, minha idéia não deve ser deturpada, embora eu ache legítimo que alguém empreenda como missão de vida comer todos os amigos e amigas que puder. Eu mesma, de certa forma, sou assim e conheço gente assim, mais gente do que seria de esperar à primeira vista. Comer alguém deve ser um gesto de amizade e que complementa e aprofunda, não estraga essa amizade. O que estraga é o lixo na cabeça, que não é inerente ao sexo, são os penduricalhos mortíferos que arranjam para ele. Experimente conversar sobre isso com os amigos e coma eles, se eles se revelarem sensíveis a essa maneira de ver as coisas. Indecente é comer pessoas que não seriam nossas amigas. Isso só se admite em raríssimos casos, como, por exemplo, para satisfazer uma perversãozinha."
(Ribeiro, J. U. A casa dos budas ditosos, 1999. p. 114-115)
-----------------------------------------------------------------------
(grifos meus)
Ah, palavras sábias! Eu sempre pensei assim e isso explica tudo, não é? Essa eu ofereço aos meus amig@s! Àquel@s que eu comi, os que comerei e os que continuarão a negar... ou depois dessa, aos que irão repensar! rs. Bjos Luxuriosos a vocês minhas gostosas e meus gostosos, e um fds fodástico!!!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Abre essas pernas

Música: Velhas Virgens





Abre essas pernas pra mim, baby
Tô cansado de esperar
Você dá pra todo mundo
Só pra mim que você não quer dar
Esse papo de pele e de química
Não tem nada a ver
Não é filme, nem novela
É só sexo, eu e você
Já deixei você nua em pêlo
E na hora você deu para trás
Então abre essas pernas pra mim, baby
Pra aprender como é que se faz

Você pode dizer o que quer
Nem por isso vou dar pra você
Eu só transo com quem eu quero
E na hora que eu escolher
Animal é que trepa sem sentir e sem gostar
Não sou bicho e nem planta
Nem boneca pra você me usar
Você vem com essa pica imensa
Pensando que vai me comer
Eu não abro as pernas pra você, baby
Não adianta você querer

Abre essas pernas? Não!
Abre essas pernas? Não!
Abre essas pernas? Não!
Abre essas pernas? Não!
Abre essas pernas? Não!
Todo mundo abriu
Só você quer negar
Abre essas pernas pra mim baby
Abre e deixa eu entrar

Abre essas pernas pra mim baby
Que papo é esse de emoção?
Eu tô falando é de vai e vem
Será que você é sapatão?
Nunca vi uma mulher
Que não gostasse de foder
Até hoje ninguém disse não
E a primeira não vai ser você
Estou te oferecendo
Vinte centímetros de prazer
Abra essas pernas pra mim, baby
Vai ser bom, você vai ver

Me tire da cabeça
Não adianta me cobiçar
Sei que você come todo mundo
Mas comigo não vai rolar
Nem tua grana, nem teu carro
Nada vai me convencer
Não sou burra nem tô a venda
Nem pagando você vai me ter
Pode ir pro banheiro
E tocar uma bronha se quiser
Eu não abro as pernas pra você
Digo não e sou mulher

Abre essas pernas? Não!
Abre essas pernas? Não!
Abre essas pernas? Não!
Abre essas pernas? Não!
Abre essas pernas? Não!
Todo mundo abriu
Só você quer negar
Abre essas pernas pra mim baby
Abre e deixa eu entrar

Você diz que a minha grana não te compra
Você diz que só faz com emoção
(Só com amor, benzinho!)
Eu vou provar que todo mundo tem um preço
Eu vou provar começando o leilão
70 - Não!! 90 - Não!! 150 - Não!!
300 - Não!! 500 - Não!! 790 - Não!!
800 - Não!! 900 -Não!! Uma milha

Assim eu dou
Não dá pra negar
Assim eu dou
Não dá pra negar
Só não pense que eu sou puta
Estou gostando de você
Vou abrir as minhas pernas
Por amor e por prazer

Puta? Você? Nem pensar!
Puta, você? O que é que há?
Foi amor a primeira vista que eu vi!
Foi "química e lance de pele bem aqui"!

Benzinho, você sabe
Eu te amo tanto

Sabia desde o começo
Só faltava acertar quanto

-------------------------------------------------------------
Essa eu tô pra postar faz tempo!! Acho essa música um máximo! Obrigada as amigas que me apresentaram a essa ótima banda, rsrs. E viva ao bom e velho Rock'n Roll!!!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Seja meu 2 em 1...


Ah como é bom ouvir um "eu te amo".
Ouvir palavras doces, elogios, declarações de amor.
Quem sabe com o tempo você aprenda a mesclar essas doçuras com palavras mais ácidas, sacanas até...
Que não tenha medo de me mostrar tua pegada forte, de me dominar, de se mostrar um pouco mau...
Que possamos também transar ao fazermos amor!
Quando esse dia chegar não me chame, venha até aqui e me carregue...
e apenas me mostre o quanto você me ama e me deseja, com poucas palavras, ou melhor, sem dizer nada...

sábado, 23 de outubro de 2010

Hoje, quem manda aqui sou eu! (continuação)

Virou-me com firmeza, algemou meus braços, me jogou na cama e literalmente arrancou-me o vestido. Fiquei ali, nua, frágil, exposta, excitada, aguardando com muita ansiedade o que aquela noite me reservava...

Perguntei se já podia falar e ele me respondeu:
_ Você só fala quando eu mandar e o que eu mandar!
Começou a beijar meu corpo, dando atenção especial aos meus seios: mordidas, lambidas, chupadas... Fiquei inquieta, a querer me soltar, fugir, e a cada tentativa de fuga ele me segurava mais forte e me beijava com mais intensidade, me deixando cada vez mais excitada, molhada, ansiosa, sedenta...
Os beijos foram descendo e senti sua barba arranhar minhas coxas e seu hálito entre minhas pernas, a língua de leve em minha virilha, fazendo voltas e me fazendo delirar, até que sinto sua língua quente a me penetrar... Mais lambidas, mordidinhas e chupadas! Começo a gemer alto e ele diz: “geme baixinho!” Mais uma vez obedeço enquanto ele continuava a me sorver.
Tirou minha venda, disse:
_ Quero que veja tudo pra lembrar melhor depois.
Eu apenas sorri, com ar de safada, ele continuou, agora enfiou os dedos dentro de mim, me fazendo soltar um gemido abafado, ele tira e mostra os dedos melados:
_Lambe, sente o teu gosto...
Apressei-me em deixar seus dedos limpos e ele passeou com eles em minha boca, brincando com minha língua e olhando profundamente nos meus olhos:
_ Você gosta? Diz que gosta!
_ Eu gosto...
_ Quanto?
_ Muito...
_ Mais alto, eu não ouvi...
_ Muito!
Ele agarra na minha cintura, me vira de costas e esfrega seu pau na minha bunda me fazendo arrebitá-la:
_ Se você prometer ficar quietinha e me obedecer eu solto suas mãos, promete?
_ Eu prometo!
_ Eu vou soltar e você vai ficar de quatro pra mim, do jeito que eu gosto, não vai?
_ Vou, claro que vou... Respondi, meio tímida, fazendo tipo, estava gostando da brincadeira.
_ Vai ou não vai? Ele repete ríspido.
_ Eu vou, já disse que vou...
_ Sem rebeldia, apenas obedeça!
_ Eu vou...
Ele tira as algemas e eu prontamente me coloco de quatro a sua frente. A essa altura eu já tinha entrado no jogo e estava adorando ser mandada, possuída, servi-lo e obedecê-lo como uma cadelinha que obedece ao seu dono. Ele puxa meu cabelo pra trás, enfia seus dedos entre eles e segura forte na minha nuca:
_ Você é a putinha linda de quem?
_ Sua...
_ Eu não ouvi, de quem?
_ Sua! Respondo ofegante.
_ Então me pedi, pedi que eu sei o que você quer...
_ Ah, sabe? -Não me contive e soltei uma gargalhada safada-
_ Se sabe então faz...
_ Cala a boca, eu já te disse que hoje quem manda aqui sou eu e eu quero ouvir, repete: Bate!
_ Bate! Bate!
E senti aquele tapa estalar e arder deliciosamente em minha bunda, pedi de novo:
_ Vai, me bate!
E mais um, mais um e a cada tapa eu gritava de tesão, de prazer...
_ Diz, bem alto quem é seu homem? Diz!
_ Você!
_ Quem?
_ Você!!! Respondi soltando um gemido alto, pois nesse momento ele meteu com tudo seu pau dentro de mim, dando estocadas fortes, marcando o ritmo acelerado me puxando o cabelo e apertando minha cintura... Sentia suas unhas marcando minha pele e nosso suor se misturando. Senti aquela tão conhecida onda de calor me invadir e meu corpo estremecer e gozei, muito... E mesmo assim não queria que ele parasse, queria continuar a senti-lo inteiro dentro de mim, a me possuir... Foi quando ele tirou seu pau de dentro de mim e pediu-me pra virar:
_ Olha, olha pra mim, quero que você não se esqueça disso...
Olhei bem para aquela expressão de prazer, os dentes dele cerrados, o suor escorrendo na testa e ele gozou nos meus seios, na minha barriga e soltou o corpo em cima do meu, nós dois ofegantes e trêmulos, ficamos alguns minutos assim, sem dizer nada, sem nos mexer, só ouvindo nossa respiração se acalmar. Olhamos-nos, ele sorriu, se levantou, pegou-me no colo e carregou-me para o chuveiro...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Dica para manter a boa forma!

Sempre utilize calçados confortáveis e adequados à prática esportiva!!!


---------------------------------------------------
Meus gostosos e gostosas, depois das minhas férias forçadas estou de volta e mesmo atolada no trabalho, tentarei manter isso aqui funcionando!Bjos Luxuriosos!
PS: estou precisando perder umas calorias... rsrsrs!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Música

Eu já postei a letra dessa música aqui no Luxúria e Subversões, mas acontece que ela não sai de mim, então resolvi postar a música para que vocês possam curtir junto comigo!

"Eu sou o preço cobrado e bem pago
Eu sou um pecado capital"



"E nunca mais esfriar minha febre"

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Indelével


Suave como uma brisa no fim de uma tarde de verão
Quente como os raios de sol
Ardente como nossos beijos
Intenso como as chamas de uma fogueira
Assim foi nosso amor...
Quando nossos corpos se encontravam tudo parecia menor, sem importância
Beijos macios
Seios colados
Cabelos grudados ao nosso suor
Mãos pequenas que percorriam meu corpo com uma leveza tão firme.
Coxas entrelaçadas em movimentos sintonizados
Não havia espaço vazio entre nós, tudo era preenchido por nosso desejo recheado de amor
Misturadas, embebidas no nosso mel, provando nosso sabor, incendiando nossos corpos e almas
Nua, linda, minha...
Unidas por um laço invisível, eterno
Menina, mulher, minha...
O primeiro beijo, o primeiro toque, a primeira noite, o encontro
Tão presentes em mim
O último beijo, o último toque, a última noite, o adeus
Também por aqui ficaram
Única, especial, minha...
Marca indelével, no corpo, no coração e na alma
De sempre e para sempre:
Minha menina
--------------------------------------------------------
Esta é uma homenagem para a "mulher da minha vida" que fez aniversário nesta semana que passou e como diz o título é Indelével em minha vida. "Parabéns Sol! Espero que goste do presente..."

Selinho


Recebi este selinho da linda Crys do blog Desejos e Delírios, um dos meus preferidos. Adoro a forma como a Crys escreve, como divide conosco de forma sensível, poética e é claro erótica, seu “infinito particular” (como ela mesma descreve). Muito obrigada pelo carinho Crys, fiquei muito contente com a indicação!
Como regrinha, eu tenho que repassar o selo a oito blogs que eu gosto (só oito, ai que difícil!). Então meus gostosos e gostosas, dêem uma passadinha por eles e vejam se concordam comigo, aí estão eles:

Quimera
http://quiseraqaquimera.blogspot.com/

Blog da Helena
http://helenatl1.blogspot.com/

Conde Vlad
http://condevlad.blogspot.com/

Momentos de tesão
http://momentosdetesao.blogspot.com/

A verdade – “Críticas,Crônicas, Contos e Poesias”
http://hannaellmendes.blogspot.com/

Luisiana (está desatualizado, pois Capitu anda muito ocupada, mas vale a pena assim mesmo...)
http://luisianas.blogspot.com/

Molho de Pimenta
http://molho-de-pimenta.blogspot.com/

As tentações da Prazeres
http://tentacoesdaprazeres.blogspot.com/


quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Hoje, quem manda aqui sou eu!

Poucas palavras. Você não me deixou dizer nada. Entrei no carro e antes de dizer qualquer coisa fui calada com um beijo. Não um beijo comum, como o que damos e recebemos todos os dias. Um beijo ávido, sôfrego, ardido, daqueles que acendem o corpo e a alma. Não me deixou dizer nada, pediu para que eu não dissesse. Vendou-me os olhos e seguiu. Eu aceitei, não disse nada, não perguntei nada. Adoro jogos, surpresas...
Paramos. Uma estranha sensação tomou conta de mim, não era medo, mais parecia com uma ansiedade, talvez receio do que viria, mas mesmo assim sentia minha calcinha ficar molhada por baixo do vestido. Antes de descermos do carro recebi mais um beijo teu, agora mais forte, agressivo. As tuas mãos apertaram meus seios com firmeza e logo senti teu hálito atravessando o tecido fininho do vestido, deixando meus mamilos endurecidos...
Ao ser tirada do carro senti a brisa fresca gelar meu corpo, meu suor...
Não agüentei e perguntei: não vai tirar a venda? Como reposta só obtive: Não!
A calma que até então parecia estar presente até ali, se dissipou. Meu coração disparou quando ao abrir uma porta você me jogou com força contra a parede, segurando meus braços e beijando, lambendo, mordendo loucamente meu pescoço. Meu corpo todo se arrepiou e eu quis me soltar, fiz força e você disse, no meu ouvido: hoje quem manda aqui sou eu!
Virou-me com firmeza, algemou meus braços, me jogou na cama e literalmente arrancou-me o vestido. Fiquei ali, nua, frágil, exposta, excitada, aguardando com muita ansiedade o que aquela noite me reservava...
-----------------------------------------------
Ah, pode deixar que eu vou contar o resto, foi só pra aguçar os sentidos e incentivar vocês a usar a imaginação...

terça-feira, 5 de outubro de 2010

I want to do bad things with you...

Foto: Vinicius Parente

Esperando pelo teu melhor tratamento...
Vens?

Ausência


Ansiosa, sedenta, à flor da pele...
Lembrando do teu corpo, do teu cheiro, do teu gosto.
Rememorando nossa mistura, coxas, mãos, línguas, salivas.
Sentindo teu toque, teu aperto, tua pegada.
Querendo o beijo, o tapa, o teu sexo no meu.
Lamber, morder, chupar.
Louca. Molhada, tua.
Não quero teu amor, quero teu tesão, teu desejo, tua luxúria.
Foi assim que te esperei hoje: ansiosa, sedenta, à flor da pele.
E você, não veio... Restou, apenas, me tocar esta noite.


"Mas nada disso importa, vou abrir a porta pra você entrar, beijar minha boca até me matar, de amor" RiTa Lee

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Detalhes

Foto: Cássia Ferreira

Não me deixe esperar tanto...
Desfaz o lacinho, desfaz...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Impulso

Noite intensa
Insana
Te quero!
Ferozmente
Animal
Te quero...
Hoje
Agora
Preciso saciar-me
Não me faça esperar mais
Pulsar mais
Crescer mais
Te quero
Preciso
Tesão infame
Fome insaciável de ti
Vem logo
Preciso penetrar-te
Sentir-me em ti
E todo meu pau apertado
Ao te desbravar
Preciso de você agora!

Por: Subversivo
----------------------------------------------------------------
Ah esse meu querido Subversivo, cada dia mais gostoso! Uma delícia contar com ele por aqui... excitante!

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Dar não é fazer amor

Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca…
Te chama de nomes que eu não escreveria…
Não te vira com delicadeza…
Não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar….
Sem querer apresentar pra mãe…
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral…
Te amolece o gingado…
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem
esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar
o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar:
“Que que cê acha amor?”.
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho…
É não ter alguém para ouvir seus dengos…
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar
Experimente ser amado…

Luís Fernando Veríssimo
-----------------------------------------------------------
Meus gostosos e gostosas, estou sem tempo para escrever (estou em casa, curtindo minha família e alguns amigos), por isso estou postando textos que eu gosto muito, os compartilhando com vocês. Mas logo volto com meus textos e quem sabe com alguma boa subversão pra contar para vocês!! Bjos Luxuriosos!!!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Uma primeira vez

Luxúria e Subversões = Cultura

"Ele me desabotoou a blusa, eu o ajudei a tirá-la, com um sorriso leve, sem mostrar os dentes e baixando os olhos. Ele me beijou bem, já tinha aprendido comigo. E pôs a mão no fecho de meu sutiã [...] Meus dois peitos pularam livres, trêfegos e lindos como luas cheias, as aréolas rosadas quase apontando para o alto, os bicos tensamente enrijecidos, as curvas delicadas se desdobrando em mil outras sem cessar, e ele enfiou o rosto no meio deles. Não sei como, logo estávamos nus e deitados juntos e resolvi que ficaria o mais quieta possível na cama e só me mexeria em caso de emergência, para evitar uma barbeiragem mais grave, enquanto ele descia a boca dos meus peitos para o umbigo e finalmente lá embaixo, que foi quando eu não me controlei e segurei a cabeça dele entre minhas pernas e gozei tão profundamente que achei que ia morrer. Quando parei de gozar, pensei que ele ia querer que eu o chupasse também um pouco, e eu estava com vontade, mas, mal resvalei os lábios no pau dele, ele recuou os quadris, ficou de joelhos diante de mim e me disse, encantadorissimamente, machissimamente no melhor sentido:
_Abra as pernas para mim."

(Ribeiro, J. U. A casa dos Budas Ditosos. 1999. p.77)

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Guia-me


São tuas mãos que me mostram o rumo,
que guiam meu corpo em direção ao teu.
Que me levam a percorrer os caminhos do prazer e da luxúria.
Mãos que me afastam as pernas,
me acariciam, me seguram pela cintura
e encarceram-me em nossa mais pura devassidão.
Que deslizam no suor do meu corpo,
que atiçam meus sentidos.
Mãos que desvandam-me.
Sou tua. Sempre em tuas mãos.

domingo, 26 de setembro de 2010

Hoje

Estou mais "errada" que nunca!
Sinto a luxúria e a lascívia exalando dos meus poros!
Estou a flor da pele...
Querendo ser tocada, beijada, invadida...
Mulher, escrava, cadela, puta!
Molhada, safada, faminta!
Vem, me esfola, me prende, me satisfaz!
Sacia minha fome e depois me deixe dormir sobre teu peito, em paz...

sábado, 25 de setembro de 2010

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Concentração

Hoje não consegui me concentrar,
não consegui escrever...
Estudando demais, trabalhando demais e
meus pensamentos estão longe, bem longe.
Em outro corpo...
Vou ficar devendo algo melhor,
mas não se preocupem...


...estou me divertindo!!!
Façam o mesmo! Bom fim de semana!

Bjos Luxuriosos!!!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Desafio


Será que és capaz de realizar meus desejos?
Saciar minha lascívia?
Sabes que não tenho o hábito de sufocar o que explode em mim...
Será que és capaz de tomar posse do que te ofereço?
De alimentar-se da minha submissão?
Aproxima-te de mim, mostra-me do que és capaz...
Desafio-te a ser meu dono, a controlar-me.
Nua, entorpecida, sedenta, lasciva...
Será que consegues?
Então, espero-te... vens?

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Machismo? (Luxúria e Subversões = Cultura)

Foto: Daqui

"O próprio machismo se voltou contra os machões, tornou o homem prisioneiro dele mesmo, obrigado a não chorar, não broxar, não afrouxar, não pedir penico. Aquilo que, numa primeira visão, oprimia somente as mulheres oprimia mais os homens, que até hoje vivem cercados por um cortejo de mulheres fanstamagóricas, reais e imaginárias, sempre prontas a esquartejá-los, se o pegarem fora desses padrões. E não adianta psicanálise, nem ficar arrotando liberações. Eles têm medo, eme-é-dê-ô, cagam-se de medo. Medo, teu nome é macho, não disse o Bardo, mas digo eu. Quanta mulher não comeu o homem que quis, apenas porque ele não podia recusar uma mulher? Uma mulher se tranca com um homem num quarto e diz que ele vai comer ela. Ele tem que comer, a não ser que ela seja o corcunda de Nôtre Dame. Até mesmo recusar uma mulher obedece as normas, porque é estabelecido o direito de ela se ofender, se a recusa for feita fora das normas. Por exemplo, "você é feia, e eu não vou lhe comer", não se diz uma coisa dessas a uma mulher. Para não fazer uma inimiga mortal, o recusador tem que ser artista. Já a mulher pode recusar perfeitamente e mesmo nos piores termos possíveis - "você nunca, tá?" _, as mulheres sabem do que estou falando, sou uma feminista esclarecida-progressista, sou um grande homem fêmea."

(João Ubaldo Ribeiro, A Casa dos Budas Ditosos, 1999, p. 67)

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Recomendações médicas

Usar calcinha de algodão


Manter a vagina o maior tempo possível ventilada


Procurar formas de usar calcinha de algodão e manter a vagina ventilada ao mesmo tempo


E fazer isso também durante o dia, mesmo no trabalho

----------------------------------------------------------
Fotos: Literotica

Parece brincadeira, mas o meu médico me recomendou isso mesmo, eu apenas melhorei as recomendações!

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

(A)corda

Foto: Daqui

É assim,
vai
volta,
some, reaparece
manda e desmanda.
A corda!
Me prende,
me excita,
me bate,
me ama,
me faz sua!
A amante
a mulher
a puta!
Faço o que você deseja?
Faço o que eu desejo!
Enrosca tuas pernas,
segura minhas ancas
se enfia
com vontade
desejo
tesão
dentro de mim!
Me amarra,
mas acorda...
E cuidado,
nessa corda
não sou eu que vou me enforcar!

domingo, 19 de setembro de 2010

Músicas

Venha sugar o calor, de dentro do meu sangue vermelho...

Que mata sua sede, que me bebe quente, como um licor...

Brindando a morte e fazendo amor...

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Revisão


Eu fazia aquele caminho todos os dias. A oficina ficava no meio do trajeto entre minha casa e meu trabalho. Sempre que parava o carro no semáforo próximo, observava aqueles homens trabalhando, na maioria das vezes sem muito interesse.
Em uma segunda-feira, nas proximidades de um feriado prolongado me vejo as voltas de organizar minha viagem e um dos itens a providenciar era a revisão do carro.
Logo pela manhã, antes de ir ao trabalho, paro na tal oficina e sou atendida por um homem alto, de expressão marcante, de voz grossa e mãos grandes. Confesso que não consegui conter meus olhares de interesse, aquele homem mexeu com minha libido. Combinamos que ele me ligaria para dizer quando o carro ficaria pronto, na melhor das hipóteses até o final do expediente. Segui para o trabalho de táxi. Durante o resto do dia aquele homem não saiu da minha cabeça, não sabia bem por qual motivo, mas nem consegui me concentrar naquele dia.
No final da tarde, o telefone toca, era ele. Meu corpo inteiro estremeceu ao ouvir aquela voz grossa dizendo meu nome. O carro só estaria pronto no dia seguinte, no final da tarde. Voltei para casa e notei que de alguma forma eu estava muito ansiosa por ir buscar meu carro no dia seguinte. Mal dormi aquela noite...
Acordei com um gosto doce na boca. Aquele gosto que sinto toda vez que acordo em um grau de excitação tremendo... Coloquei um vestido leve, de alcinhas, desses que se usa sem sutiã e que o tecido acaricia de leve o corpo, calcei uma sandália de saltos e coloquei uma calcinha extra na bolsa, pois algo me dizia que ela seria necessária.
Ao trabalho. Mais uma vez não consegui me concentrar, a imagem daquelas mãos e o som daquela voz não saiam da minha cabeça. No final da tarde, antes de sair, liguei para a oficina para me certificar de que poderia ir buscar o carro. Ao escutar aquela voz inconfundível ao telefone, uma onda de calor percorreu todo meu corpo e eu me senti queimar, arder e agora reconhecia muito bem aquela sensação: desejo, puro tesão.
Ele me disse que o carro já estava pronto e que a oficina fechava as 18h, mas que mesmo que todos saíssem ele me esperaria se fosse necessário. Aproveitei para dizer que me esforçaria para chegar até as 18h, mas reiterei que poderia me atrasar um pouquinho. Meu corpo continuou queimando ao desligar o telefone.
Bem perto das 18h chamei um táxi, fui ao banheiro, arrumei os cabelos, retoquei a maquiagem, me perfumei e para minha surpresa, tive que usar a calcinha extra antes do esperado, pois a que eu usava estava encharcada...
No caminho, me vi torcendo para que eu chegasse depois das 18h e o encontrasse sozinho. Trânsito, chuva, cheguei as 18:30. Assustei-me ao ver a oficina fechada até que notei a porta lateral semi aberta. Entrei. Chamei. A resposta veio naquela voz que tanto mexeu comigo: “aqui em cima, no escritório!”. Sem hesitar subi as escadas em direção a voz. Empurrei a porta e lá estava ele, sentado em um sofá de couro escuro numa salinha pequena, que além do sofá tinha uma escrivaninha e duas cadeiras. Fiquei assim, parada na porta observando o ambiente. Ele levantou-se, caminhou em minha direção e disse: “seu carro está pronto madame”. Eu apenas sorri. Ele andando em minha direção e eu em brasa, não podia me conter, iria tê-lo ali, não tinha mais volta.
Continuei parada na porta e ofereci resistência quando ele tentou passar sem propriamente me pedir licença e colocou as mãos na minha cintura, me forçando para o lado. Com a minha resistência nossos corpos ficaram colados, estava criado o clima, só senti sua respiração próxima ao meu rosto e me virei oferecendo meu pescoço como uma escrava que alimenta a seu senhor vampiro. Ao contrário de mim, ele não ofereceu qualquer resistência e nem poderia. Suas mãos envolveram minha cintura e eu pude sentir seu membro pulsante colado em mim. Sem titubear ele colocou as duas mãos nos meus seios, com uma firmeza suave ao mesmo tempo que me beijava o pescoço.
Estava completamente entregue, ficamos por algum tempo assim, nos tocando, sem dizer uma palavra. Com um movimento firme, ele segurou os cabelos da minha nuca e me beijou. O volume que eu sentia contra o meu ventre indicava que eu teria uma surpresa enorme. Fui conferir com uma das mãos e constatei que realmente era enorme e estava tremendamente duro. Não via a hora de tê-lo cravado dentro de mim.
Num movimento rápido ele me levantou e me jogou no sofá, cai sentada e não tive tempo pra mais nada, ele levantou meu vestido e não se fez de rogado, com um puxão arrancou minha calcinha e caiu de boca entre minhas pernas. Eu estava enlouquecida! Segurei sua cabeça firmemente entre minhas pernas e me entreguei, senti aquela onda de calor forte, meu corpo estremecer e assim gozei. Sem dar tempo para eu me refazer, ele tirou as calças e me penetrou com força, profundamente, com estocadas firmes que me faziam sentir um prazer imenso em tê-lo dentro de mim. As suas mãos segurando fortemente minha cintura e marcando seu ritmo, eu via em seu rosto aquela expressão pura de prazer que só vemos nesses momentos de tesão intenso. Não agüentei por mais muito tempo e mais uma vez comecei a sentir meu corpo todo trêmulo, não consegui segurar meus gemidos de prazer e voltei a gozar. Vendo-me assim, entregue, invadida, esfolada, ele também começou a gozar e eu me senti inundada por aquele homem. Ficamos ali, com os corpos relaxados e extasiados com aquela sensação de que o mundo parou por uns segundos.
Desde então, costumo levar meu carro para uma revisão mensal.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Programa

Foto: Google Imagens

Combinamos tudo, mas mesmo assim me sentia um pouco nervosa, aflita com essa situação toda e por incrível que pareça, isso me excitava mais. Banho, hidratante, lingerie vermelha, meia, cinta liga, sobretudo, sapatos de salto. Estava pronta. Horário combinado. Desço as escadas. Cada milímetro do meu corpo se arrepia ao pisar na rua. Respiro fundo. Sorrio. Saio andando pela rua sentindo todos os olhares em minha direção.
Táxi. Centro da cidade. A aflição inicial transforma-se em um tesão nunca experimentado. Chego a esquina. Corpo trêmulo. Penso em desistir. Desisto de pensar. Começo a gostar da brincadeira. Os carros passam, diminuem a velocidade, me olham, me chamam, me desejam... Retribuo com sorrisinhos safados, mas não me aproximo de nenhum dos carros que param. Espero por um cliente especial essa noite...
Mais um carro se aproxima diminuindo a velocidade. Abaixa o vidro. Me chama. Hesito. Sorrio. Me aproximo. Abro o sobretudo. O vento bate no meu corpo, arrepio, sinto a umidade escorrer entre as pernas. Me debruço na janela e ouço: Faz de tudo gostosa? Respondo: Se você estiver disposto a pagar, faço! Entro no carro, noto pelo volume em sua calça que você está tão excitado quanto eu. Seguimos pro motel mais próximo, afinal hoje eu sou tua PUTA!

domingo, 12 de setembro de 2010

Fetiche


No dicionário encontramos a seguinte definição: substantivo masculino, palavra de origem francesa fétiche e que em português vem de feitiço e significa objeto a que é prestada adoração ou que é considerado como tendo poderes sobrenaturais (feitiço) ou objeto, parte do corpo ou tipo de comportamento que provoca excitação sexual.
O sentindo é amplo e nem sempre está associado ao sexo, tendo fundamentos que passam pela antropologia, sociologia e psicologia. Mas a definição que mais nos interessa é: ”Uma atração ou fixação incontrolável que dá origem a um prazer intenso.”
Os fetiches são vários, desde a parte do corpo das pessoas (pés, cabelos, pernas, bundas, mãos, ante-braço, virilha, etc ) até objetos utilizados por essas pessoas (roupas, lingeries, fantasias, jóias, tatuagens, sapatos e por aí vai). Temos ainda fetiches originados por situações diversas, desde fazer sexo em locais públicos, a básica dentro dos automóveis, elevadores, entre outros. O sadomasoquismo, o voyeurismo, a podolatria e outras práticas são ainda consideradas atos de fetiche.
Mas afinal, qual será o fetiche de cada um? O fetiche que todos nós praticamos ou escondemos? Se você não sabe o seu (ou os seus) descubra e pratique!!!

Leia mais sobre o Poder do Fetiche e sobre os 10 Fetiches mais bizarros do mundo e outras bizarrices.

Divirtam-se! Beijos Luxuriosos!!!

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Reconciliação

Te pego no trabalho, depois de outra manhã em que brigamos. Odeio brigar com você. Odeio este silêncio monótono enquanto dirijo. Odeio quando me ignora. Ei, estou aqui do seu lado! Quem vai dar o braço a torcer desta vez? Já avisto nosso prédio, e ainda não trocamos uma palavra. Devia tê-la deixado vir de ônibus! Mas isso estragaria meus planos...

Entro na garagem do nosso prédio. Estaciono. Antes mesmo que você tente sair pego-a pelo braço. Nos olhamos. Você entendeu meu pedido de desculpas. Estou em chamas, querendo você! Não agüentaria ficar sem você hoje! Te puxo junto a mim e te beijo, como se fosse nosso ultimo beijo. Profundo e excitante. Suas delicadas mãos deslizam sobre minhas pernas. Sinto-me pulsar. Cresço em suas mãos! Você sabe como me provocar. Descemos do carro e encostamos nele. É tarde, não há sinal de ninguém no estacionamento. Encostados no carro, corpo a corpo. Abro minha camisa, e enquanto te beijo o pescoço abro a sua também. Seus seios sempre atraentes, e sei que te excito ali. E é ai que começo, te ouço gemer, isso aumenta meu tesão, sinto-me pulsar. Abro minha braguilha. Parece que estamos realizando uma fantasia, sexo no estacionamento. Penetro em ti... E assim como o beijo, como se fosse nossa ultima vez. Começamos já com movimentos fortes, enquanto você beija meu pescoço loucamente... Vai.... Vai... vai.. vai, vai, vai.... num ritmo cada vez mais acelerado. Você sutilmente me pede pra parar. Paro. Com sua cara ingênua e safada olha para o elevador. Entendo seu gesto. Seguimos até ele, por sorte vazio, nós ainda com nossas camisas abertas. O tesão é tanto que perdemos a noção de tudo! Tem o lado bom de morar em andares altos, um deles é esse... Entramos e continuamos loucamente o que havíamos parado.. cada vez mais.... mais... e mais, mais, mais... num ritmo frenético chegamos ao orgasmo... Uma bela rapidinha!! A melhor até então! Nos recompomos pra sair do elevador.. a festinha há de continuar! Odeio brigas, mas adoro as reconciliações! Saímos do elevador, certos que a reconciliação ainda não tivera seu fim.. mas o resto é uma outra história, para um outro dia!

Abraços Subversivos!
--------------------------------------------------------
Texto enviado pelo nosso querido e lindo SUBVERSIVO!!! Esperamos mais textos dele (e seu também)!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Luxúria e Subversões = Cultura


"Até que Norma Lúcia me ensinou uma coisa. Não. Duas coisas. Não. Três coisas. Primeira coisa: no começo, na iniciação, por assim dizer, tem que ser de quatro, requisito absoluto para a grande maioria. Segunda coisa: tem que dizer a ele que venha devagar. Ou, melhor ainda, dizer a ele que espere a gente ir chegando de ré devagar, sempre devagar. Terceira e mais importante de todas: relaxar, relaxar, mas relaxar de verdade, soltar os músculos, esperar de braços abertos, digamos. É um milagre. Foi um milagre, na primeira vez em que eu segui essa orientação simples. Daí para gozar analmente - não sei se é gozo propriamente anal, só sei que é um gozo intensíssimo - foi só mais um pouco de vivência, with little help from my friends, ha-ha. Quem não sabe fazer isso nunca fez uma verdadeira suruba, nem pode fazer, nunca vai comer direito um casal, enfim, vai ser uma mulher incompleta, acho que qualquer um concorda com isso."

(João Ubaldo Ribeiro, A Casa dos Budas Ditosos, 1999, p. 56)

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Bom dia!!!

Hoje acordei com vontade de sexo. Boca doce, úmida, molhada...
Querendo o cheiro, o toque, o prazer, a dor.
Sentir o teu pulsar em mim me fazendo estremecer.
Vontade que não passa, mão, boca, seio, coxa, tesão.
Te ter entre minhas pernas, teu olhar, tua voz, tua expressão.
Ser usada, dominada, prende meus cabelos entre teus dedos, sirva-se de mim, sem dó nem piedade.
Ânsia. Língua, saliva, tapas, estalos, gritos, orgasmo.
Invadida. Completa. Esfolada. Tua.
Beber nosso prazer, que escorre pelas pernas.
Hoje acordei com muita vontade de você!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Yes, Sir

Pervertida, louca, subversiva...

A postos pra satisfazer os teus, os meus, desejos.

Todos.

Os mais sádicos.

Pronta pra obedecer.

Possua-me. Sacia nossa fome. Me invade.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Chama

Como isso aconteceu?
Não pertenço mais a mim, nada é meu, nem meu corpo, nem meu pensamento.
Vivo a espera de que venha me possuir.
Prender me pelos braços e me fazer teu brinquedo preferido.
Arranque minha roupa. Me deixe nua e exposta. Satisfaça teu desejo.
Sou tua escrava. Me dizes que sofro. Me pedes que paro.
Ordenas que eu amo. Desmanda que calo.
Desejo insano.
Luxúria e perdição.
Agora não tem mais volta, chama que vou... então,
CHAMA!

domingo, 22 de agosto de 2010

Oração

Faça essa oração todos os dias pela manhã, antes de sair da cama.


Por favor, que eu acorde arrependido, mas não durma com vontade. E que os nossos dias não sejam fodas, mas que nossas fodas sejam diárias!
Amém!!!
----------------------------------------------------------------------
Essa oração aprendi com meu amiguinho SUBVERSIVO.

sábado, 21 de agosto de 2010

Tua

Assim, com desejo, força, tesão.
Me segura forte pela cintura e pede, baixinho no meu ouvido: vira...
Finjo que não ouço. Você repete: vira!

Assim. Me pega de jeito, do seu jeito.
Me coloca de quatro.
Puxa os cabelos da minha nuca.
Me comanda, me domina. Assim.

Se encaixa em mim. Me prende.
Assim. Me faz TUA.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Sentidos II


O som. Os sons. Seus sons...

Suspira. Geme. Sussurra. Fala.
Diz meu nome baixinho...

Pergunta: quem é teu homem?
Eu peço: repete, mais alto...

Quem é teu homem?

VOCÊ!

domingo, 15 de agosto de 2010

Aquela noite


Quando entrei no quarto você já estava lá, sentado na cama, de frente para a porta, sem camisa, a minha espera. Estava frio lá fora e meu corpo sentiu o alívio de entrar em um lugar quente. Você nem se moveu, ficou a me olhar, a me analisar... Virei-me para tirar o casaco e assim que o tirei você levantou-se rápido em minha direção, me puxando com força para si, me beijou a boca e mais rápido que antes arrancou minha blusa. Nunca tinha te sentido assim, com tanto desejo, não precisou de muito mais para que eu já estivesse totalmente entregue, molhada, excitada, explodindo de tesão. Gostei do arrepio que senti quando ao me apoiar na parede minha pele quente se chocou com a parede fria... Fiz força para fugir, mas você não deixou, me segurou, me virou de costas para você, levantou minha saia, afastou minha calcinha e me fez sentir o quanto você me queria aquela noite: segurou com força minhas mãos e meteu com firmeza entre minhas pernas, me fazendo soltar um gemido surdo...
E foi assim que aquela noite começou.
------------------------------------------------------------------
Às vezes me bate uma saudade...

sábado, 14 de agosto de 2010

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Sentidos

Você sente meu corpo se arrepiar quando sinto teu gosto, teu cheiro?

Me beija... deixe que eu te beije...

Quero experimentar cada centímetro do teu corpo.



Deixa eu te provar?

----------------------------------------------------------------------
Foto: Literotica

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Luxúria e Subversões = Cultura

"Ele se viciou em me chupar e eu em chupar ele e me dava muito prazer nós dois atras das portas, fazendo as coisas de maneira insubstituivelmente perigosa. Com o tempo, ainda nessas férias em que começamos, ele passou a botar nas minhas coxas, e a gente aprendeu a sincronizar o gozo, e eu fazia questão de que ele recuasse um pouco os quadris para gozar nas minhas coxas."
(João Ubaldo Ribeiro, A Casa dos Budas Ditosos, 1999, p. 31)